Opinião

Desculpe o transtorno, mas preciso falar sobre términos de relacionamento

2016 veio com tudo né? Crise econômica, política, social e também amorosa. Esse ano tivemos a notícia que William Bonner e Fátima Bernardes se separaram e a internet parou. Johnny Depp que era o queridinho de muitos se mostrou um homem violento diante do mundo graças ao processo de divórcio de Amber Heard. Angelina Jolie decidiu se divorciar de Brad Pitt e muitos disseram não acreditar mais no amor. Gregório Duvivier escreveu um texto (mais um) sobre Clarice e em nós ficou a dúvida se era sincero mesmo ou se tratava de uma jogada de marketing para divulgar o filme dos dois que deve estrear em breve no cinema mais próximo de você.

eu-tava

Deixando as celebridades de lado, não há um amigo ou conhecido que eu converse que não ouça “as coisas não estão bem, temos brigado muito” e atualmente muitos de nós se encontram questionando o que é amor e por que ele não dura pra sempre ou quais as regras o relacionamento deve seguir para sabermos que é amor de fato.

Hoje tenho que falar sobre términos de relacionamento e porque eles são uma boa coisa na nossa vida.

Há relacionamentos que dão a sensação de liberdade quando acabam, outros são confusos e não se sabe ao certo o que aconteceu para acabar. Há também aquele aquele término de namoro que faz sofrer por muito, muito, muito tempo, pois você passa noites e dias intermináveis pensando “o que fiz de errado para perder o amor da minha vida? (mereço isso…). E assim, com todas as experiências difíceis que passamos, acabamos construindo cascas, paredes, medos, resistências e parece cada vez mais complicado se entregar por completo.

Verdade seja dita: relacionamentos acabam.

Porém, além de todos esses términos, há aquele término de namoro que, apesar de dolorido, deixa a sua cabeça tranquila graças a sua maturidade. Isso acontece justamente quando você não tem arrependimentos em relação a como foi o tempo que estiveram juntos. Você deu o seu melhor e se entregou por completo para que os dois fossem felizes e, no fundo do seu coração, sabe que o outro fez exatamente o mesmo.

Talvez você não seja a pessoa certa para a outra, embora se esforçasse para isso e essa pessoa não é certa para você, embora se esforçasse para isso. Se isso é pra sempre, nunca se sabe. Apenas sabemos que no presente é assim.

O fim se faz necessário.

Vocês se amaram por todo o tempo que ficaram juntos, vocês se encontraram durante este tempo e agora chegou a hora de seguir em frente.

A nossa vida é feita de encontros, românticos ou não, fomos feitos para nos encontrarmos, aprendermos, talvez até sofrermos para evoluirmos e então seguimos em frente.

Sabe aquela pessoa que conversou com você e te ajudou a ter um insight? Aqueles amigos do colégio? Sua família? Seus amores? São todos encontros que acontecem para deixar a sua vida melhor de uma forma ou outra. Alguns desses encontros duram 15 minutos, alguns meses e outros longos anos, até que alguém é o primeiro a partir dessa aventura chamada vida e o encontro se termina. O fato é que nenhum encontro dura pra sempre.

Entender que tudo tem um fim e que nós aprendemos com tudo que vivemos é muito bom.

O mais importante é que em algum momento você aprende a se entregar, amar sem medo, fazer de tudo pela felicidade do outro e, veja você que coisa mais linda, quando este relacionamento acabar, terá zero arrependimentos. Não haverá aquela sensação de “eu poderia ter feito mais”. Acabou porque tinha que acabar, não há nada que você pudesse fazer diferente para não “perdê-lo”. Faça o melhor que você pode no momento que você vive.  Ninguém perde ninguém, por hora este encontro acabou e bora seguir aprendendo com a vida.

É importante entender que nenhum relacionamento deve ser para sempre se alguém não está feliz na relação. Se a felicidade não é mútua, não há por que continuar este encontro. Você já parou pra pensar se está feliz com o seu relacionamento ou talvez se o outro está? Já pararam para conversar com 100% de sinceridade um para com o outro? Talvez seja a hora de seguir em frente, mas por medo de fazer isso você se segura em qualquer pedacinho de felicidade que exista na relação e só atrasa a sua vida e a do outro também.

Acredite, com o tempo toda a mágoa ou ressentimentos deste término vai passar, você poderá lembrar somente das coisas boas que viveram e do quanto contribuíram para a evolução um do outro. As coisas vão melhorar, por hora pode parecer impossível, mas por mais clichê que possa parecer, é importante dar tempo ao tempo.

As coisas vão melhorar.

Que bom que aconteceu, que bom que não há arrependimentos e que bom que acabou. Os dois continuarão aprendendo com a vida e evoluindo com cada encontro. Pode ter certeza.

Apenas peço para você que lê este texto neste momento que, não importa o que aconteceu ou como acabou, não deixe de acreditar no amor e não deixe de se entregar de corpo e alma para os seus relacionamentos.

A melhor coisa da vida é viver sem arrependimentos e se entregar 100% para as suas experiências é a melhor forma de fazer isso.

 

 

Comentários

Por

Ana De Cesaro

em 7 de outubro de 2016

Comentários