O Poder da Fênix

fênix O Poder da Fênix

Esse é provavelmente um dos posts mais difíceis de escrever que já fiz, tão complicado que esta é a minha segunda tentativa de concluí-lo. Na primeira me desfiz em lágrimas e soluços, pois me vi diante de imagens e lembranças perturbadoras, posso dizer até que eram desesperadoras. Para que vocês entendam o que estou sentindo, primeiro é preciso que conheçam um pássaro muito especial chamado Fênix. Já ouviram falar dele?

A fênix é um pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em auto-combustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Uma das características da fénix é sua força que a faz transportar, em voo, cargas muito pesadas, podendo até, se transformar em uma ave de fogo.

Hoje me vejo exatamente como este pássaro, alguém que morreu e teve a oportunidade de renascer e ser ainda mais forte. Estou no #ProjetoAnaGostosa há pouco mais de um ano, já passei por crises físicas e psicológicas durante este processo todo, que me levavam a acreditar que nada estava mudando e que meu trabalho era inútil.

Porém ontem tive um baque muito grande. Um impacto indescritível. Resolvi olhar fotos antigas para homenagear uma amiga minha que fazia aniversário, 15 anos de amizade e experiências, todos registrados em fotos e vídeos que me levaram em uma viagem nostálgica que me emocionou muito mais que eu poderia imaginar.

Continue reading

Confissões de uma traição

capa post Confissões de uma traiçãoEu confesso, ok! Eu traí! Sim! Traí mesmo e vou explicar porquê.

Eu estava presa em um sério e  longo relacionamento, o mais longo que já tive. Sabe aquele tipo de relação que não te oferece exatamente nada novo? Que na verdade te deixa triste e sem vontade de fazer nada, mas que você mente para você mesmo e encara como algo cômodo e seguro?

Pois é, era assim. Quando os outros comentavam comigo que eu precisava fazer algo por mim mesma e que devia mudar, eu me irritava.

“Eles que estão errados, estou bem assim, aqui… dessa forma, já sei como é, não há novidades, não há riscos, é cômodo” era o que eu pensava.

Mas como todo relacionamento longo, em um momento comecei a me cansar de tudo aquilo e aquela coisa cega de “estou bem assim” começou a diminuir. Tudo me irritava, não conseguia mais me enganar e fingir que estava feliz.  Foi aí que comecei a prestar atenção no meu redor, perceber que haviam outras pessoas, outros alguéns, outros relacionamentos mais felizes que o meu.

Continue reading